Apresentação de Retratos


Retrato de Dom Jorge Ortiga
 
No passado dia 22, do corrente mês de Março de 2013, ano jubilar das suas Bodas de Prata Episcopais, pela Festa da Senhora das Dores, a Comunidade da Basílica dos Congregados homenageou o nosso Arcebispo Dom Jorge Ortiga. Dom Jorge foi reitor desta Comunidade cerca de 15 anos de (1973- 1988).
Esta homenagem foi presidida pelo Rev. Padre José Granja, Reitor desta Basílica dos Congregados. Contou com dois momentos muito importantes: o descerramento da pintura a óleo do Retrato de Dom Jorge e a oferta de um livro com testemunhos de pessoas que colaboraram com Dom Jorge, enquanto Reitor dos Congregados, onde ficaram exaradas palavras de profunda gratidão e grande amizade.
Pintor Fernando Rosário com o Reverendo Padre José Granja.


            O Pintor Fernando Rosário com o Arcebispo Dom Jorge Ortiga, junto ao seu retrato.

Dom Jorge Ortiga, quadro patente na Basílica dos Congregados na cidade de Braga.
O pintor esposendense deixa assim a sua marca em mais um templo, muito visitado pelas gentes do Norte do país.
     
Retrato de Dr. António Miguel da Costa Almeida Ferraz (1855/ 1916)


Lançamento do livro “Apontamentos para a História de Barcelos”
Do programa fez ainda parte o lançamento do I Volume do livro “Apontamentos para a História de Barcelos”, do Dr. António Almeida Ferraz, que foi provedor desta Santa Casa na viragem do século XIX para o século XX e a quem foi prestada uma justa homenagem com o descerramento dum seu retrato a óleo (da autoria do Pintor Esposende Fernando Rosário).
A apresentação deste primeiro volume dos “Apontamentos para a História de Barcelos”, numa coedição da Misericórdia de Barcelos e da Câmara Municipal de Barcelos, aconteceu no auditório do Município e esteve a cargo do Pe. Dr. António Júlio Trigueiros, responsável pela introdução, transcrição e notas do livro. O apresentador expôs a vida e a obra do autor, ilustre médico barcelense, que redigiu onze volumes, de que o livro se compõe, ao longo de 22 anos (1894-1916).
“ Notícia retirada do site da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos” (27-05-2013)




BERNARDETE COSTA
Professora e escritora
Eis que vos apresento o meu último trabalho.O retrato encomenda duma amiga e conterrânea. Retrato este que me deu muito prazer executar, uma vez que, e a pedido da retratada, esta obra teria de ser marcada por alguma diferença em relação a toda a minha obra retratista anterior.
Desta forma, e respeitando a posição informal da figura, exigência da retratada, tentei enquadrá-la numa perspetiva de infinito paisagístico, onde manchas pictóricas desfilam num qualquer horizonte.
Assim o olhar desliza atravessando rios, montes e vales que desfalecem por detrás do sol. Não se ouvem os rouxinóis, nem as cotovias, nem o estremecer das águas dos charcos, nem as rãs que em seu coaxar louvam o Criador. Todavia, ousa afirmar, nesta tela perdura o silêncio duma natureza viva e vibrante em que a cor e a forma apelam aos sentimentos da alma mais sensível.
Diria até que o silêncio é evidente no sol ausente mas omnipresente, no céu desfalecido por entre os farrapos das nuvens, no cheiro que ressalta de inúmeras flores; e atente-se na fragrância exuberante das mimosas que brilham na altura como pequeninos sóis.
Inegavelmente o modelo recusa o formalismo de pausa e refugia-se nos braços da natureza - a natureza presente em alguma da sua escrita poética com forte pendor telúrico - . Digamos que a natureza realça o modelo com um suave gesto de carícia, que é enfatizado pela flor que cresce e floresce nos seus dedos. E o modelo vive e mexe oferecendo com um sorriso maroto um delicado miosótis azul.